Informação de Qualidade para toda a população!

segunda-feira, 2 de novembro de 2020

Viver de renda: aluguel ou Tesouro Direto com juro semestral?



Viver de renda é o sonho de muita gente. Juntar um dinheiro e fazer com que ele trabalhe por você. Mas para isso é preciso escolher aplicações com o mínimo de previsibilidade para garantir que suas despesas mensais sejam pagas.

O aluguel é uma opção muito comum para quem quer ter uma renda periódica. Mas existe também uma alternativa menos conhecida e que exige investimento mais baixo: os títulos do Tesouro Direto com juros semestrais.

Eles também remuneram o investidor com certa frequência, entre duas e quatro vezes ao ano, a depender da sua estratégia de diversificação.

O gerente do Tesouro Direto, Paulo Marques, explica que, assim como no aluguel, você investe uma quantia nesses títulos públicos e recebe uma fração dela de retorno aos poucos.

Uma das diferenças é que no aluguel, o imóvel pode se valorizar com o tempo, o que pode gerar um ganho extra no caso de venda e mesmo aumento do preço de locação.

No entanto, o imóvel também pode sofrer desvalorização e ainda tem o risco de vacância, que é quando você está sem inquilinos e não recebe nada de aluguel.

Quando o imóvel está vago, além de não receber, você ainda precisa arcar com a manutenção.

No Tesouro, os pagamentos a cada seis meses são garantidos. É um dinheiro com o qual você pode contar. O risco de calote é o menor do mercado financeiro no Brasil. Você só não recebe se o país inteiro afundar de vez. É o que se chama de risco de crédito soberano.

Frequência de pagamentos e aporte

Os títulos do Tesouro com juros semestrais remuneram a cada seis meses em datas sempre fixas, que não depende de quando você começou a investir.

Você recebe sua renda duas vezes ao ano. É possível comprar títulos com diferentes datas de pagamentos e tornar os pagamentos mais recorrentes, de três em três meses.

O aluguel, por outro lado, costuma ser uma renda mensal.

Outra diferença é que você consegue os cupons com investimentos baixinhos, de menos de R$ 40. Já para apostar no aluguel vai precisar desembolsar uma quantia alta para comprar o imóvel.

"Tem gente que fica decepcionado com o pagamento dos juros semestrais. Como se você comprasse um imóvel de R$ 50 mil você não o recebe um aluguel de R$ 4 mil. Vai ser sempre um valor proporcional ao que foi investido", afirma Marques.

Tributação

Outro ponto de análise é a questão do imposto de renda. No aluguel, ele deve ser pago mensalmente, seguindo a tabela progressiva. Se seus rendimentos forem muito altos, ele pode ser tributado em até 27,5%.

Já a tributação do Tesouro Direto segue a tabela regressiva de investimentos, que vai reduzindo o desconto de imposto de renda na medida em que o tempo passa e você segue com a aplicação.

Assim, se no primeiro rendimento semestral, também chamado de cupom, você paga 22,5% de imposto de renda, a partir do segundo cupom a alíquota vai diminuindo, até chegar em 15% quando você deixa o dinheiro aplicado por mais de 720 dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário