Informação de Qualidade para toda a população!

quarta-feira, 19 de maio de 2021

Quem tem varizes pode correr? E fazer musculação? Que cuidados tomar?



Uma dúvida muito comum entre as pessoas que têm varizes é se elas podem realizar atividade física —especialmente corrida e outros exercícios em que há grande impacto, pois existe o medo de a prática esportiva gerar dor nas pernas ou até romper os vasos sanguíneos dilatados e salientes.

A resposta é sim. O exercício não só está liberado para indivíduos que possuem varizes, como ajuda a evitar que o problema se agrave.

"Atividades aeróbicas (corrida, caminhada, natação, hidroginástica e andar de bicicleta) são bem conhecidas como tratamento não medicamentoso para prevenir e/ou suavizar o quadro de varizes", afirma Esdras Melo, mestre em educação física, coordenador do curso de educação física da UniNassau (Centro Universitário Maurício de Nassau Paulista) e docente do Núcleo de Educação Física e Ciências do Esporte do Centro Acadêmico de Vitória da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco).

Como o exercício pode ajudar?

As varizes ocorrem quando as veias das pernas perdem a elasticidade e dilatam. Com isso, suas válvulas deixam de funcionar de forma eficiente e o sangue venoso, que deveria voltar ao coração, fica ali "empoçado", provocando deformação nos vasos, sensibilidade na pele e a coloração púrpuro-azulada.

A prática de exercícios regular melhora a saúde dos vasos sanguíneos e a circulação do organismo como um todo. Além disso, a contração dos músculos das pernas durante a atividade física funciona como uma 'bomba de sangue', impulsionando seu retorno ao coração. "A maior atividade pulmonar durante o treino ainda cria uma mudança na pressão torácica, o que também auxilia no retorno sanguíneo", explica Bruno Rodrigues, professor da disciplina de exercício físico em doenças crônicas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

O treinamento de força (musculação, treino funcional, CrossFit etc.) também está liberado para quem tem varizes e gera benefícios, principalmente porque ao fazer exercícios que recrutam os músculos da panturrilha (agachamento, afundo, elevação de panturrilhas, saltos na caixa) há uma melhora no retorno do sangue venoso.

Para quem ainda não sofre com varizes mas tem predisposição ao problema, vale lembrar que obesidade e sedentarismo são dois fatores de risco para o aparecimento da doença. Logo, sobram motivos para investir nos exercícios. "Pesquisas demonstram que a caminhada, por exemplo, ajuda a regular a pressão arterial, a glicemia (nível de açúcar no sangue) e a taxa de colesterol, fatores associados ao aparecimento de varizes", comenta Melo.

Cuidados ao praticar exercícios

O primeiro cuidado, que vale tanto para quem tem varizes quanto para quem não tem, é realizar um check-up médico para saber se você está liberado para atividade físicas ou se há alguma restrição, além de contar com orientação de um profissional de educação física durante o treino.

Ao praticar exercícios de alto impacto (corrida, pular corda, saltos etc.), é muito importante observar se não ocorre um inchaço demasiado nas pernas —se isso acontecer, é preciso procurar um médico para avaliar o problema, além de ajustar o volume e a intensidade do treino.

Na musculação, é preciso tomar cuidados com exercícios em que há contato do aparelho com a região em que estão as varizes. Em caso de qualquer desconforto, a recomendação é conversar com seu professor e pedir para ele adaptar o treino. "Isso não quer dizer que a musculação é contraindicada", reforça Melo.

"O aluno também precisa ficar atento para evitar esbarrões e choques com aparelhos de musculação, barras, halteres, esteiras, pedais da bicicleta. Uma pancada na região em que há varizes pode causar lesões e, consequentemente, úlceras de difícil cicatrização", alerta Rodrigues.

Calogero Presti, cirurgião vascular e endovascular do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) e membro da SBACV (Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular Nacional) afirma que praticantes de esportes em que há contato físico direto (futebol, lutas) estão mais sujeitos a pancadas que podem provocar ruptura das varizes, inclusive com sangramento externo. "Para esses atletas, recomendo o uso de meias elásticas esportivas ou faixas protetoras na região."

Presti ainda explica que o treino deve ser interrompido na presença de complicações agudas das varizes, como inchaço incomum, vermelhidão, dormência, dor ou úlceras (feridas) nas pernas. "Nesses quadros, o ideal é buscar orientação médica, mas o tratamento geralmente exige repouso para evitar agravamento do problema e permitir a recuperação adequada do paciente."

Nenhum comentário:

Postar um comentário